E o fim do Universo? Como vai ser?




Segundo as estimativas atuais da ciência, vai ser monótono e demorado, e não, não tem um restaurante lá.


          Algumas coisas a se situar antes de prosseguirmos com a matéria, a primeira é que a noção de tempo que será aplicado é dada em potencias de 10, isto é, quando escrevemos o numero 1.000, grafaremos 10^3 , o numero após o ^ indica a quantidade de zeros no numero. Sendo assim o numero 100.000 será representado por 10^5.  A segunda é Não entre em pânico.


Caso não tenha entendido asa referências.

Brilha, brilha estrelinha!

Tomaremos como medida inicial para nos situarmos, a expectativa de vida média de uma estrela anã amarela como nosso Sol. Sua vida útil é da ordem de 10 bilhões de anos, (10^10). Nosso Sol é uma estrela de meia idade, cujas estimativas dizem que ira durar mais 5 bilhões de anos (5 x 10^9).  
Esta escala é muito útil para medir a idade universal, pois estima se atualmente que o universo esteja com 18,7 bilhões de anos, (1,87 x 10^10).  Os físicos chegaram a esse valor tomando como referência as transformações radioativas dos átomos na Terra e a composição química das estrelas, analisada a partir da luz que elas emitem.
E estimasse que a era das estrelas continue por um bom período, pois quando uma estrela morre, libera matéria para ser utilizado por outras, num reciclo. Porém quem vai durar por mais tempo são os buracos negros.
Conforme o tempo passar e o universo chegar a idade de 10^20, as estrelas não mais existirão, devoradas estrelas de nêutrons e por buracos negros. Provavelmente ainda restará uma ou outra estrela anã branca por ai, mas serão raridades, e a era luminosa do universo já terá se acabado. 


10^30.

          Nesta idade, praticamente toda a matéria encontrasse em buracos negros, mas estes são esternos, vitimados pelas leis da termodinâmica, onde diz que o calor flui dos corpos mais quentes para os mais frios e nunca o contrario, os prótons tendem a se decompor em partículas mais leves.

10^65. Monótono.

          A partir deste período a matéria tende a se degenerar em radiação, que nada mais é uma forma de matéria desestruturada e distribuída de forma uniforme pelo universo, este que também continuou seu processo de expansão. Provavelmente não encontraremos muita coisa por aqui, algo como 1 elétron por ano-luz cubico. A partir deste período, o tempo para de fazer sentido, já que não há mais nada com que comparar a passagem do tempo.


Fonte: Super Interessante e outras.
Comenta aí pode ser? ()