Viajando no LSD




Seja na forma cristalina, liquida ou até com os Loony Toons, a viajem é longa e o destino incerto.


          Quimicamente conhecido como DIETILAMIDA DO ÁCIDO LISÉRGICO, o LSD é uma droga sintetizada a partir de fungos que crescem em centeio e outros grão, produzidos em laboratórios a là Braking Bad e comercializado em larga escala pelas ruas, junto com outras drogas, é uma das drogas que proporcionam a maior desconexão da realidade.

LSD disfarçado.

Liquido, solido e desconexo.

Depois de adquirido, seja ele no formato de cristal, gelatinoso, conhecido como vidraça, ou às vezes até liquido, depois de absorvido pelo organismo, o usuário pode experimentar ate 12 horas dos seus efeitos, conhecido popularmente como “Viagem”.
Os efeitos da “viagem” incluem distorção geométrica, euforia, agitação, aumento da sociabilidade, perda de noção do tempo, e em alguns casos o inverso como pânico, sensação de perseguição e ate loucura temporária ou psicose. Os danos a longo prazo podem resultar em doenças degenerativas do cérebro contudo nenhum estudo ainda comprovou isso.


Para o bem ou para o mal?

          Há médicos que defendem o uso da droga de forma controlada, que pode ser benéfica em tratamentos de doenças como depressão, ansiedade e psicose. Contudo também requer mais estudos a respeito.

Fonte: Mundosem Drogas e outras .
Comenta aí pode ser? ()