Vai um Molotov aí?



Largamente utilizado nas guerrilhas urbanas, a arma curiosamente foi nomeada da Finlândia.


Pegue uma garrafa de vidro e nela acrescente algum liquido combustível como álcool, gasolina, ou até algo mais criativo como acido sulfúrico ou clorato de potássio. Acrescente uma mecha de pano em chamas e voalá! Temos uma das armas mais versáteis da historia das guerras: O coquetel Molotov.


 
Não existe uma receita padrão. Até fezes ja foram empregadas.

Ironia? Sim, claro!


Novembro de 1939, e o temido exercito vermelho da Russia marchava contra a Finlândia, e os tanques da Russia estavam fazendo a diferença contra o exercito Finlandez que carecia de uma arma efetiva contra os tanques.
Buscando auxilio na historia, mais precisamente na guerra civil espanhola de 1936, o general Fancisco Franco tinha ordenado o uso desta arma contra os tanques T-26 com sucesso. Munido desta informação mandou produzir 450 mil unidades. A arma era produzida pela companhia Alko na sua fábrica de Rajamäki, consistindo numa mistura de etanol, gasolina e alcatrão, com dois fósforos especiais que serviam de pavio.   


O que determina o calibre de uma arma?

Ressaca?

         O exercito vermelho foi repeligo graças a essa chuva de fogo, e de quebra a arma improvisada recebeu a ironica mensão ao diplomata soviético Vyacheslav Mikhailovich Molotov. Só val lembrar que no Brasil, o porte de um coquetel Molotove pode lhe render de 3 a 6 anos de cadeia.

Fonte: Wikipédia e outras.
Comenta aí pode ser? ()